27 de abril de 2016

A virada da (minha) década

A vida. Ela é uma montanha-russa de acontecimentos, mas às vezes ela dá um jeito de ser só uma roda-gigante, com pequenas voltas, nada muito bruscas e você acaba se acomodando por conta disso.
Mas há momentos em que ela vira (ou volta) novamente uma montanha-russa e te pega de surpresa.

Estou me mudando. Mudando mesmo, daquelas mudanças grandes que além de físicas são mudanças de rotina; mudanças por dentro também. Pois mudar-se de lugar nos proporciona experiências, essas experiências mudam nossa visão das coisas e já não somos mais os mesmos desde então.

Vou para o Chile (marido recebeu proposta de trabalho, então estamos indo), de mala e cuia (e livros) e não sei bem o que esperar. Minhas expectativas estão altas sobre várias coisas, mas sei que tenho que manter meus pés no chão também, nunca sabemos quando algo pode terminar/ter um fim. Estou bem nervosa com várias coisas também. Eu tenho que aprender espanhol. Entendo um pouco, leio um pouco, mas não domino, então preciso aprender o básico (tá fácil! ou não).

fonte: frases do bem

11 de abril de 2016

Music to monday #17

...ou aquele em que detesto o termo "guilty pleasure".
...ou ainda, aquele da categoria desaparecida do blog por mais de um ano.

Esse post não vai ser textão. Pois nem quero me estender nesse assunto, só quero dizer que eu não gosto nem um pouco do termo guilty pleasure
Sabem para o que ele é direcionado? É basicamente para designar quando sentimos vergonha/culpa por gostarmos, sentirmos prazer em apreciar alguma coisa que é considerada ruim ou mal falada. 

Aí me digam: por que raios eu sentiria vergonha de algo que eu gosto (ou estou me divertindo, para dizer o mínimo)?
Se você sente culpa por algo que você gosta, ou você está sendo pressionada(o) a ser e sentir como os outros querem ou você sente essa culpa/vergonha por nada. Porque não precisa se martirizar por algo que você está gostando de fazer (assistir, ler, ouvir, apreciar etc.). Então vamos nos libertar dessa culpa generalizada e viver feliz com as coisas que nos fazem bem, independentemente do que os outros vão achar! \o/

E isso para dizer que esses últimos dias lembrei de algumas coisas que ouvia quando era adolescente e me deparei com... Avril Lavigne!!!
Nunca fui fã, nem ouvia muito, mas tem uma música que eu acho muito da bonitinha e que grudou na minha cabeça de novo: My World.

Can't help it if I space in a daze
My eyes tune out the other way
I may switch off and go in a daydream
In this head, my thoughts are deep
But sometimes I can't even speak
Will someone be and not pretend?
I'm off again
In my world

Se querem me julgar, façam como quiserem, mas saibam que eu tô me divertindo ouvindo e nem ligando para o que vocês, que julgam, acham. =P

Beijos de luz.



Bons Sonhos

23 de março de 2016

6 cantoras queridas

Faz um bom tempinho que não escrevo sobre música, e estava ouvindo algumas cantoras que gosto muito e me deu essa vontade de compartilhar o porquê gosto tanto delas. 
Cada uma tem suas particularidades, seu talento, seu jeito lindo de cantar. E fora as duas últimas, que para mim são as donas dessa lista, as outras moças não estão em ordem de preferência. Simplesmente foram importantes em épocas diferentes da minha vida, então cada uma tem seu valor para mim. ^^

Venham comigo para saber quem são!

10 de março de 2016

O que eu li: Fevereiro

Esse foi o mês de terminar as leituras em andamento de Janeiro, ou seja, concluí tudo o que não tinha terminado no mês passado. xD
E parece que comecei bem o ano, pois gostei de todos os livros que li e me diverti com os mangás. A única coisa que não deu certo foi a TBR (to be read) que fiz, e que vou continuar insistindo porque às vezes funciona, e é bom ter uma base de livros que a gente quer ler. Foco não faz mal a ninguém, não é mesmo?

Como já disse em vídeo e no post passado, falarei mais dos livros, o que senti ou alguns detalhes curiosos sobre como fiz a leitura, mesmo que depois eu faça resenha. Porém assim acho que agrega na conversa geral sobre as leituras. Então vou continuar fazendo assim. :)

7 de março de 2016

Os livros que nunca lerei

Para leitores assíduos como somos, pensar que existem tantos, mas tantos livros no mundo; que a cada ano saem listas e mais listas de lançamentos, e que nunca vamos conseguir ler todos os livros que queremos, é praticamente doloroso. Isso, infelizmente, é uma realidade. Sim, mesmo que você leia 100 livros por ano; mesmo que leia 200, dificilmente um dia você acabará com a lista de livros que quer ler.