E quanto ao bloqueio criativo?

Você vê as pessoas postarem regularmente em seus blogs; escreverem resenhas, dissertações, mas quando você quer escrever não consegue colocar as ideias no papel (ou no Word), ou simplesmente não sai uma ideia do que escrever. Se você tem pelo menos algum assunto sobre o que escrever fica mais fácil, porém o que fica terrivelmente deprimente é quando você tem o assunto, tem a ideia, mas não consegue desenvolvê-la nem por decreto. Provavelmente nem por pressão – nessas situações.

Acontece com todo mundo o tal do bloqueio criativo. Eu sei, já me disseram isso. O problema é que quando você mais precisa da criatividade ela faz a brincadeira de esconde-esconde e sabe lá onde se escondeu.

Então você entra no próprio blog (existente há uns 8 meses). Primeiramente fica olhando atentamente a estética dele; analisa os cantinhos para avaliar se o visual está legal, se o layout que escolheu é a sua cara e tal. Ok está, finalmente, como você queria. O próximo passo é começar a ler o primeiro parágrafo de cada post na home, então seleciona alguns para começar a reler o que escreveu, – porque fazendo isso você pensa que tem capacidade de escrever coisas legais e com conteúdo – depois de um tempo lendo o texto ao todo você vai separando as palavras, lendo-as separadamente e logo em seguida as letras.

Quando percebe está mergulhada nas letras, mas sem fazerem sentido juntas. Percebe que reler tudo o que escreveu não fará a sua criatividade aparecer do nada. Contudo, percebe também que pelo menos o que você quer escrever não é uma obrigação, é vontade. É querer escrever sem poder fazê-lo no momento.

Mas sabe até quando irá durar o seu bloqueio criativo? E sabe o quanto de você ele irá tomar?

Se você precisa escrever uma resenha de um trabalho acadêmico, com um pouco de pressão, não que a própria criatividade apareça, você vai lá e escreve alguma coisa. Na correria do prazo de entrega, mas escreve. Mas e se o bloqueio malévolo resolve colocar uma parede nessa sua necessidade? Pode começar a puxar os cabelos e correr pela casa gritando com as mãos pra cima como o Kevin de Esqueceram de Mim. Agora está tudo perdido. Ou você leva aquele tapa na cara e a frase “Isso precisa ser feito, é trabalho da faculdade!” ou cai no desespero e se ferra lindamente.

A parte as reflexões e divagações, tudo não passa de algo momentâneo. Assim você espera. E não vai ajudar muito você forçar a cabeça tentando achar alguma coisa lá dentro enquanto não souber brincar de esconde-esconde com sua criatividade. Se souber as ‘manhas’ de onde achá-la ou fazer com que ela volte será mais prático e sem estresse.

Portanto trate de relaxar, se ocupar com outras atividades enquanto dá um tempo para a parte direita do seu cérebro pensar. Na pior das hipóteses o bloqueio ficará algum tempo, mas não pra sempre. Ele não é eterno.

2 comentários

  1. [...] postado nada, e que parece que eu larguei o coitado as traças. Mas é que, como eu escrevi no post E quanto ao bloqueio criativo?, eu não tenho tido inspiração para escrever nada. E na verdade eu tenho estado ocupada com o meu [...]

    ResponderExcluir
  2. [...] por Eru, que eu tentei, bem que tentei manter isso aqui atualizado. Mesmo fazendo um post sobre bloqueio criativo, para brincar com a falta de criatividade, e tentar fazer com que algo me surgisse, alguma ideia. [...]

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário \o/
Responderei assim que for possível ;)