(Longa) Retrospectiva Literária 2015

Credo, 2015 passou voando. Tenho quase certeza de que 2016 não vai ser tão diferente. =P
Bom, agora virou tradição, então vou sempre fazer Retrospectiva Literária aqui no blog. Eu acho bem gostoso de escrever e fica legal. ^^

Como fiz ano passado, quero relembrar as leituras que fiz; falar um pouquinho do que se passou com elas e responder a tag da Tary

Então vamos ao textão de Facebook de Retrospectiva Literária!

Eu meio que nem contei quantas leituras fiz, mas como vou listar aqui as leituras por mês, vocês vão conseguir contar, se quiserem. Não foram muitas, mas eu fiz ótimas leituras, e isso só me mostrou em como qualidade vai sempre ter mais peso que quantidade. O que é maravilhoso, ainda bem! haha

Janeiro
Hiroshima - a cidade da calmaria (Fumiyo Kouno)
Onde Vivem os Monstros (Maurice Sendak)
O Ladrão de Raios (Rick Riordan)

Fevereiro
Vincent (Barbara Stok)
Não Sou Uma Dessas (Lena Dunham)
Pretty Guardian Sailor Moon #9 (Naoko Takeuchi)

Março
A Desumanização (Valter Hugo Mãe)
Só Você Pode Ouvir (Hiro Kiyohara)
Pretty Guardian Sailor Moon #10 (Naoko Takeuchi)
Fábulas: Lendas no Exílio, vol. 1 (Bill Willingham)
Por Lugares Incríveis (Jennifer Niven)
Sejamos todos feministas (Chimamanda Ngozi Adichie)

Abril
Pretty Guardian Sailor Moon #11 (Naoko Takeuchi)
Cadê Você, Bernadette? (Maria Sample)
Os Filhos de Húrin (J. R. R. Tolkien)

Maio
Pretty Guardian Sailor Moon #12 (Naoko Takeuchi)
Sobre a Escrita (Stephen King)
Stoner (John Williams)
Poética (Ana Cristina Cesar)
Um Teto Todo Seu (Virginia Woolf)
Todos nós adorávamos caubóis (Carol Bensimon)
Sandman - Prelúdios & Noturnos (Neil Gaiman)

Junho
Chobits ESP. #1 (CLAMP)
Chobits ESP. #2 (CLAMP)
O Mágico de Oz (L. Frank Baum)
O Pequeno Príncipe (Antoine de Saint-Exupéry)
A Redoma de Vidro (Sylvia Plath)

Julho
Fantasmas na Biblioteca (Jacques Bonnet)
Chobits ESP. #3 (CLAMP)
Clube da Luta (Chuck Palahniuk)
Bidu: Caminhos (Eduardo Damasceno, Luís Felipe Garrocho)

Agosto
Codename: Sailor V #1 (Naoko Takeuchi)
Estação Onze (Emily St. John Mandel)
O Livro do Cemitério (Neil Gaiman)
Chobits ESP. #4 (CLAMP)
Meus Documentos (Alejandro Zambra)
Estação Atocha (Ben Lerner)

Setembro
Chobits ESP. #5 (CLAMP)
Um Certo Henrique Bertaso (Erico Verissimo)

Outubro
Chobits ESP. #6 (CLAMP)
Mosquitolândia (David Arnold)

Novembro
Orange #1 (Ichigo Takano)
Chobits ESP. #7 (CLAMP)
Na Natureza Selvagem (Jon Krakauer)
Pílulas Azuis (Frederik Peeters)

Dezembro
Orange #2 (Ichigo Takano)
A Bela e a Adormecida (Neil Gaiman, Chris Riddell)

Dá para notar que de Setembro até Dezembro eu não li quase nada, mas nem estava preocupada com isso. Para esse ano o espírito será o mesmo: fazer boas leituras, sem ficar contando quantas foram. Para mim é melhor assim: não me estressa e aproveito as leituras de verdade. ^^


Projetos 2015

Eu dei continuidade (mais ou menos, mais para menos do que para mais) ao The Book Jar, e não foi até muito longe em 2015, porém agora em 2016 eu voltarei com ele. 
E um projeto que comecei ano passado foi o #LeiaMulheres, que vai continuar para sempre, hehe. 

Para esse ano eu tenho mais alguns projetos em mente, mas são coisas leves que provavelmente conseguirei cumprir. Em breve vídeo para tudo isso explicando tudo sobre todos os projetos/desafios. ;)


Tag Na Minha Estante em 2015: 

O melhor casal
Cora e Julia, de Todos Nós Adorávamos Caubóis. O romance entre as duas é meio complicado, mas acho que elas são como quase todo casal real: tem seus altos e baixos até se darem conta de que são perfeitas uma para a outra.

Virei a noite lendo
Um Teto Todo Seu, de Virgínia Woolf. Eu li esse livro em dois dias! O que para mim é super rápido. Eu simplesmente adorei a escrita da Virgínia, e pretendo ler muito mais coisas dela, seja na não-ficção como na ficção. Autora incrível que conheci em 2015.

Soco no estômago 
Clube da Luta, de Chuck Palahniuk, foi mais "tapa na cara" mas dá para dizer que se leva um "soco no estômago" com a leitura dele. Tem um ar pesado, mas também possuí um certo conteúdo sarcástico, então a gente acaba dando umas risadas, mas são mais risadas de nervoso.

O livro mais triste que li
A Redoma de Vidro, de Sylvia Plath. Esther me deixou muito para baixo com sua história, ainda mais que esse livro tem muito de autobiográfico de Sylvia. Só que às vezes livros assim são necessários na nossa vida. Amei a leitura e foi favoritado, mesmo sendo triste.

A maior decepção do ano
Estação Onze, de Emily St. John Mandel. Quando comecei a ler, pensava que o livro ia ser muito bom, mas minhas expectativas não estavam tão altas. Mesmo assim não achei esse livro tudo isso que estavam dizendo. Não sei se fui eu quem não "entendeu" ou se realmente não me fisgou. Talvez a segunda opção seja a mais verdadeira.

O mais chato
O Ladrão de Raios, de Rick Riordan. Achei mais do mesmo, gente, desculpa. O protagonista é até mais simpático do que muitos que a gente encontra por aí, mas sei lá, achei a história cansativa e não vi graça nenhuma. Pensei que poderia ler toda a série Percy Jackson, porém acho não vai rolar.

Quase morri de tanto rir
Cadê Você, Bernadette?, de Maria Sample. Esse livro é uma mistureba de coisas e isso faz com que ele seja cômico em muitos momentos. Bernadette é meio louca e desajeitada, então é um alvo fácil para a autora coloca-la em situações engraçadas. Me diverti muito lendo esse livro.

Aventura, fantasia ou infanto-juvenil
O Livro do Cemitério, de Neil Gaiman. Nem sei o que dizer, por que é Gaiman, né? Sempre espero o melhor dele e dificilmente ele decepciona. Livro mais fofo e macabro do mundo. ♥

Autor Revelação
Chimamanda Ngozi Adichie. Diva, maravilhosa, poderosa. Só li Sejamos Todos Feministas, mas já deu pra perceber que essa moça tem muito a me ensinar. Já comprei Hibisco Roxo para ler e espero conseguir adquirir os outros livros dela esse ano.
(notei também que ano passado nessa mesma categoria foi uma autorA. Mulheres dominando meus anos! Uhuul!)

Bate bola de personagens

Personagem masculino apaixonante
Finch, de Por Lugares Incríveis. Nesse YA contemporâneo o que mais me agradou foi o personagem Theodore Finch. Ele é um adolescente diferente, meio que fora dos padrões (claro que ele tem seus problemas psicológicos, mas nem por isso deixa de ser menos atraente) e isso me chamou atenção nele. 

Personagem feminina admirável
Cati, de Pílulas Azuis. Não sei se vocês leram essa HQ, mas Cati tem AIDS, juntamente com seu filhinho. Frederik Peeters conta como ela e ele conseguiram se relacionar e formar uma família. Apesar de Peeters ser um cara a se admirar, Cati luta todo dia para se manter saudável e para cuidar do filho pequeno. A força dela é uma inspiração.

Personagem mais chato
Túrin, de Os Filhos de Húrin. Eu expliquei na resenha desse livro que nenhum personagem era muito cativante e o próprio protagonista era meio chato. O Túrin é irritante, e é isso, não tem mais o que explicar.

Personagem mais legal
Stephen King. Ok, Stephen não é um personagem, é uma pessoa real. Todavia em seu livro Sobre a Escrita, onde conta um pouco da sua vida, você se embebe da simpatia, acaba se apaixonando pelos King e por isso o escolhi como o personagem mais legal, mesmo ele sendo real. xD

Personagem mais perturbador
Alex Supertramp, de Na Natureza Selvagem. Eu li vários livros de não-ficção em 2015, então esse é mais uma pessoa real. Contudo ele não pode contar sua história, então um autor o fez. Alex era na verdade Chris McCadless, um jovem rico, que tinha tudo nas mãos, mas resolveu se aventurar no Alasca, de onde nunca mais voltou. Tentar entender junto com o autor o porquê ele saiu mundo afora me fez pensar que, de certo modo, isso torna Chris um tanto perturbador.

Personagem que mais me identifiquei
MIM ou Mary Iris Malone, de Mosquitolândia. A Juli adolescente quis ser amiga da MIM, pois elas têm muitas coisas em comum, principalmente o fato de se sentirem estranhas. MIM teve mais problemas familiares que eu, mas eu senti que muito de como ela agia eu queria ter praticado quando tinha meus 15-16 anos. Gostei muito da MIM.

O melhor livro de 2015
Buáá, que coisa ruim de se fazer com leitores assíduos. =~~( Ter que escolher apenas UM melhor do ano é crueldade! Bom, particularmente eu amei 4 livros esse ano: A Redoma de Vidro (Sylvia Plath), Na Natureza Selvagem (Jon Krakauer), Sobre a Escrita (Stephen King) e Um Certo Henrique Bertaso (Erico Verissimo). E todos foram muito importantes e me marcaram de uma maneira que não vou esquecer. Porém, acho que o que mais mexeu comigo, que me fez ficar pensando nele por um tempo -  e ainda estou pensando - foi Na Natureza Selvagem. Jon Krakauer falando sobre Chris McCandless me fez pensar em muitas coisas sobre a vida, a sociedade e o que esperamos de nós mesmos. É um livro realmente profundo e filosófico, por meio da vida de um rapaz que queria se achar no mundo. Chris (ou Alex) vai estar sempre aqui comigo, me fazendo lembrar de minhas origens e em como posso aprender comigo mesma. 


Gostaram da retrospectiva? O que acharam das minhas leituras? 

Esse ano eu quero muito postar mais aqui no blog e fazer vídeos bem legais para vocês. Então até os próximos posts. o/




Bons Sonhos

3 comentários

  1. Oba, adoro retrospectivas! Pra começo de conversa, não achei que você leu pouco não. Você deve ter lido em três meses o que eu li o ano todo! hahaha Mas vou melhorar. Esse ano foi o primeiro em cinco anos que eu não fiz a tag da Tary na retrospectiva.

    Na sua lista tem várias coisas que eu estou louca para ler. Tenho Todos Nós Adorávamos Caubóis no kindle e com sorte vai ser lido esse ano (não é garantia porque entre físicos e digitais tenho uns 120 na pilha). Por isso que eu fiz uma TBR Jar no fim do ano passado, achei muito legal que você também tem uma e achei muito boa a ideia de uma página de acompanhamento, fica muito feio se eu me inspirar em você?

    Também estou com Um Teto Todo Seu e vários outros da Vigininha na lista. A Redoma eu li em 2014, também amei demais e entrou como favorito, se não me engano.

    E fiquei chocada por você não ter gostado de Estação Onze. Não li ainda, mas todos os comentários que ouvi sobre foram ótimos.

    Feliz 2016. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paloma!
      Entrei no seu blog pra te conhecer e já tinha te visitado hehe. Eu acompanho o blog e canal da Tary e da Analu (elas são suas amigas né?). ^^

      Claro que você pode se inspirar na aba do The Book Jar ;)

      Eu digo que li pouco com relação aos outros, mas vou parar com isso, afinal, cada um tem seu ritmo. Além disso, quero focar na qualidade e não na quantidade de livros lidos. 2016 vai ser assim pra mim.

      Ah, não curti o Estação Onze, mas sei lá, sou pá virada às vezes, hehe. Não vá pela minha opinião; leia, provavelmente você vai gostar. :)

      Beijins! Feliz 2016!

      Excluir
  2. Oi! Você leu bastante coisa legal e que eu quero ler. Em primeiro lugar, legal ver que você curte mangá, conheço pouca gente que fala sobre isso :). Eu li Chobits na época do primeiro lançamento aqui, não sei o que acharia se lesse hoje. Minha irmã está acompanhando Orange e estou esperando saírem todos os volumes para começar a ler. Parece ser muito bom.
    Eu também não liguei muito para O ladrão de raios. É engraçadinho, uma boa diversão, mas não passa muito disso. Também fiquei surpresa por você não ter gostado de Estação onze, porque tudo o que eu ouvi foi positivo, estou até tentando diminuir as expectativas para não me decepcionar, porque acho que tem chance de eu não gostar - "A estrada" parece ter um clima meio parecido e eu não curti muito.
    A redoma de vidro foi uma das minhas leituras favoritas do ano retrasado, e Hibisco roxo foi a preferida de 2015, então recomendo muito! Estou bem curiosa para ler mais da Chimamanda
    Beijos e boas leituras para 2016

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário \o/
Responderei assim que for possível ;)