Mais 6 livros para ler em 2017

Eu gosto de fazer meta? Gosto. Eu as cumpro? Quase nunca. Mas a tentativa me instiga e eu gosto de tentar, mesmo que não dê certo. Penso que se eu sempre insistir, alguma hora eu vou conseguir cumprir metas e fazer os projetos direitinho.

Uso muito a meta do Skoob para organizar os livros que pretendo ler no ano. Quando fiz o vídeo apresentando os 6 clássicos para 2017, os coloquei na meta no site, mas achei que ficou um pouco ~vazio~ demais. Refletindo sobre quantidade de leitura, resolvi pelo menos por mais seis títulos nessa meta. Seis livros que quero muito - mesmo! - tentar ler esse ano. Conseguirei? Não sei, mas vou tentar, de verdade. Os 6 clássicos é meu foco principal, mas em meio a eles eu, obviamente, pretendo ler outras coisas, então coloquei seis outros livros que já quero ler há muito tempo, completando assim, 12 títulos na minha meta anual.

Vou mostrar um pouquinho eles pra vocês. :)


SHAKESPEARE AND COMPANY, de Sylvia Beach. Bom, esse é roubadinho porque já estou lendo desde o ano passado, hehe. E ele estava na lista Quero ler ainda em 2016, mas acabou que nem terminei (assim como os outros dois que citarei a seguir). Estou achando muito legal a Sylvia falando sobre todos os autores que passaram pela sua livraria/biblioteca, e como a amizade deles é importante e tal.

NA PIOR EM PARIS E LONDRES, de George Orwell. Como Shakespeare and Company, estava na lista e nem deu tempo de ler. Pois bem, vai pra meta porque quero muito muito voltar a ler Orwell, que é um dos meus autores preferidos. Esse é um livro de não-ficção, em que ele próprio conta como foi ser pobre em meados de 1928-30, quando ele ainda usava seu nome verdadeiro: Eric Arthur Blair.

NOVA GRAMÁTICA FINLANDESA, de Diedo Marani. Vocês devem estar cansados de me ver falando que quero muito ler esse livro, pois já o faço a algum tempo e até agora nada de leitura. Espero que desse ano não passe, não é? Sei muito pouco sobre a história, pois não fiz questão de me atualizar muito, assim a experiência seria mais interessante. Sei que em meio a Segunda Guerra Mundial um homem sem memória é encontrado na Finlândia e que um médico o ajuda, ensinando-o finlandês, acreditando que é seu conterrâneo. 

O FILHO DE MIL HOMENS, de Valter Hugo Mãe. Minha experiência com VHM foi muito positiva quando li A Desumanização. Só tive mais vontade de ler esse autor português contemporâneo, pois sua escrita é poética e sensível. Sobre esse livro não sei absolutamente nada e pretendo que continue assim, pois quero mergulhar nessa história de olhos fechados e me surpreender. 

FALA, MEMÓRIA, de Vladimir Nabokov. Tenho muita vontade de ler Lolita, contudo ainda não consegui adquirir o livro. Um belo dia na livraria resolvi começar por sua auto-biografia, assim quando ler qualquer outro livro do autor - mesmo que não seja Lolita - eu saberei sobre a vida dele, suas inspirações e como é que ele cria suas histórias, porque dizem que esse livro é muito mais do que uma biografia escrita por ele próprio. Veremos. 

A TRAMA DO CASAMENTO, de Jeffrey Eugenides. Um dos meus livros preferidos da vida é As Virgens Suicidas, do mesmo autor. Óbvio que fiquei interessada em ler esse livro e o Middlesex. Como o segundo estava sempre muito caro, acabei comprando A Trama antes, além de que já ouvi falarem muito bem desse livro, Eugenides tem uma escrita e abordagens que me agradam bastante. So here I go again! 


Espero conseguir ler os doze da minha meta, e mais alguns, claro, hahaha! Quem sabe virei aqui contar como andam as leituras desses livros e dar minha opinião sobre eles. ;)



2 comentários

  1. Nabokov e Orwell <3 já te amo hauhauhua


    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha.
      Orwell é queridinho já. O Nabokov eu vou conhecer. ^^

      Excluir

Obrigada pelo comentário \o/
Responderei assim que for possível ;)