Quero pintar uma rosa.

13 de março de 2012

Rosa é a flor feminina que se dá toda e tanto que para ela só resta a alegria de ser ter dado. Seu perfume é mistério doido. Quando profundamente aspirada toca no fundo íntimo do coração e deixa o interior do corpo inteiro perfumado. O modo de ela se abrir em mulher é belíssimo. As pétalas tem gosto bom na boca - é só experimentar. Mas rosa não é it. É ela. As encarnadas são de grande sensualidade. As brancas são a paz de Deus. É muito raro encontrar na casa de flores rosas brancas. As amarelas de um alarme grande. As cor-de-rosa são em geral mais carnudas e têm a cor por excelência. As alaranjadas são produtos de enxerto e sexualmente atraentes. 

Já o cravo tem uma agressividade que vem de certa irritação. São ásperas e arrebitadas as pontas de suas pétalas. O perfume do cravo é de algum modo mortal. Os brancos lembram o pequeno caixão de criança defunta: o cheiro então se torna pungente e a gente desvia a cabeça para o lado com horror. Como transplantar o cravo para a tela?

O girassol é o grande filho do sol. Tanto que sabe virar sua enorme corola para o lado de quem o criou. Não importa se é pai ou mãe. Não sei, Será o girassol flor feminina ou masculina? Acho que masculina.

A violeta é introvertida e sua introspecção é profunda. Dizem que esconde por modéstia. Não é. Esconde-se para poder captar o próprio segredo. Seu quase-não-perfume é glória abafada mas exige da gente que o busque. Não grita nunca o seu perfume. Violeta diz levezas que não se podem dizer.

A sempre-viva é sempre morta. Sua secura tende à eternidade. O nome em grego quer dizer: sol de ouro. A margarida é florzinha alegre. É simples e à tona da pele. Só tem uma camada de pétalas. O centro é uma brincadeira infantil.

A formosa orquídea é exquise e antipática. Não é espontânea. Requer redoma. Mas é mulher esplendorosa e isto não se pode negar. Também não se pode negar que é nobre porque é epífita. Epífitas nascem sobre outras plantas sem contudo tirar delas a nutrição. Estava mentindo quando disse que era antipática. Adoro orquídeas. Já nascem artificiais, já nascem arte.

Tulipa só é tulipa na Holanda. Uma única tulipa simplesmente não é. Precisa de campo aberto para ser. Flor dos trigais só dá no meio do trigo. Na sua humildade tem ousadia de aparecer em diversas formas e cores. A flor do trigal é bíblica.. Nos presépios da Espanha não se separa dos ramos de trigo. É um pequeno coração batendo.

Mas angélica é perigosa. Tem perfume de capela. Traz êxtase. Lembra hóstias. Muitos tem vontade de comê-las e encher a boca com o intenso cheiro sagrado.

O jasmim é dos namorados. Dá vontade de pôr reticências agora. Eles andam de mãos dadas, balançando os braços e se dão beijos suaves ao quase som odorante do jasmim.

Estrelícia é masculina por excelência. Tem uma agressividade de amor e de sadio orgulho. Parece ter crista de galo e o seu canto. Só que não espera pela aurora. A violência de tua beleza.

Dama-da-noite tem perfume de lua cheia. É fantasmagórica e um pouco assustadora e é para quem ama o perigo. Só sai de noite com o seu cheiro tonteador. Dama-da-noite é silente. E também da esquina deserta e em trevas e dos jardins de casas de luzes apagadas e janelas fechadas. É perigosíssima: é um assobio no escuro, o que ninguém aguenta. Mas eu aguento porque amo o perigo. Quanto à suculenta flore de cactus, é grande e cheirosa e de cor brilhante. É vingança sumarenta que faz a planta desértica. É o esplendor nascendo da esterilidade despótica. 

Estou com preguiça de falar da edelvais. É que se encontra à altura de três mil e quatrocentos metros de altitude. É branca e lanosa. Raramente  alcançável: é aspiração.

Gerânio e flor de canteiro de janela. Encontra-se em São Paulo, no bairro de Grajaú e na Suíça.

Vitória-régia está no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Enorme e até quase dois metros de diâmetro. Aquáticas, é de se morre delas. Elas são o amazônico: o dinossauro das flores. Espalham grande tranquilidade. A um tempo majestoso e simples. E apesar de viverem no nível das águas elas dão sombras. 

O crisântemo é de alegria profunda. Fala através da cor e do despenteado. É flor que descabeladamente controla a própria selvageria.
Acho que vou ter que pedir licença para morrer. Mas não posso, é tarde demais.


Este texto é de Clarice Lispector, copiado do romance Água Viva, página 52 a 55. Apenas modifiquei levemente, excluindo alguma ou outra frase, no geral é o texto original.
Eu teria escrito algo para o dia internacional da mulher, mas acabei desistindo porque não consegui pensar em nada para falar que já não fosse publicado em outros blogs sobre isso. Então lendo o livro de Clarice cheguei a essa parte que ela fala das flores e achei algo tão bonito, audacioso e feminino - falar das flores e o que elas carregam consigo - que resolvi postá-lo para guardar nesse cantinho, e também compartilhar algo de que gostei. O livro é muito recomendável. Adoro Clarice. E talvez eu quisesse instigar os outros a lerem também :).




Bons Sonhos

4 comentários:

  1. Flores são tão lindas, não consigo dizer qual é a minha favorita. Gosto muito de Girassol, tenho muita vontade de ter um jardim cheio dessa flor.

    Que legal que você vai fazer tradução, sou formada nessa área! Vai fazer inglês/português ou outra língua?
    Eu também não gosto da licenciatura, acho que eu não iria gostar do curso e talvez até achar uma chatisse. Gostei muito de ter feito tradução.
    ;)
    beijos

    ResponderExcluir
  2. own o texto é lindo!
    amo flores, se pudesse teria um jardim em casa,mas infelizmente não tem como. as minhas preferidas são as rosas, o cheiro é muito bom.

    p.s: indiquei você para um meme no meu blog!

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto bastante da cultura, então sempre procuro comemorar de algum jeito! Um dia eu ainda passo o St. Patrick's Day na Irlanda :)

    Boa sorte com o curso, você vai fazer em que faculdade?

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo comentário e pela visita! ♥
Responderei assim que puder ;)

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan