Dos tempos que temos

29 de maio de 2012

Dizem que o Passado é como um filme, com suas lembranças um pouco fragmentadas pelo longo tempo, que você assiste assim que seus olhos fecham e a mente abre aquela portinha onde tudo fica guardado; que se pode relembrar pelas fotos guardadas. Para mim ele é diferente. Ele é mais como uma janela de trem onde você vê as coisas passando depressa, mas que são belas e se tornam lembranças reais quando você se permite olhar pela sua janela. O Passado é um tempo que deve ser guardado e pouco visitado, ele não deve interferir nas suas escolhas de agora e você não deve ser influenciado por ele, sob nenhuma circunstância.

Já o Futuro é uma estrada longa em meio ao nevoeiro. Você vê alguma coisa, uma pista do que está ali adiante, mas não tem certeza do que pode ser, do que se vê. É entrando no nevoeiro que você descobre por qual caminho adentrou, só vai enxergando aos poucos o caminho sendo percorrido, e mesmo assim toma suas decisões. Suas escolhas sempre serão como essa estrada no nevoeiro: não há certeza do que se vê. Mas é preciso arriscar, pois o Futuro é inevitável. Mesmo que haja buracos, decidas e subidas difíceis, você só saberá se cruzar seu nevoeiro.

Um tempo que já se diluiu e um que ainda não chegou são apenas tempos. O Presente é o tempo para o qual devemos dar a devida importância. Ele é como um caleidoscópio que tem várias formas e cores, talvez não forme a mesma figura, mas você escolhe girá-lo ou não. Depende do Futuro para acontecer e está aqui vindo do Passado. E por mais que as coisas aconteceram de um jeito, elas não formam definitivamente o seu agora; por isso as cores são mais vivas, o brilho é mais belo e a certeza da sua felicidade é só nesse tempo.

Por isso deixe a esperança tomar conta do seu coração e esqueça o que já passou e o que ainda está por vir, porque a janela e o nevoeiro são coisas demasiadas abstratas, mas o presente é real e concreto. É o que permanece.

p.s: tentei escrever algo e expor o que estava sentindo sem ter que desabafar. É apenas um texto bobo que senti vontade de postar. ;P




Bons Sonhos

4 comentários:

  1. que texto lindo Juli, achei muito bonito!
    como você diz no texto não devemos deixar o passado influenciar nossas decisões jamais.
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  2. essa foi uma boa definição.
    apesar de eu achar que o passado influi,sim ;)

    ResponderExcluir
  3. Entendi o seu ponto, mas a minha teoria é um pouco diferente, pra mim, não existe presente, existe o passado, o futuro, e o caminho (mas isso é uma longa história pra explicar em um comentário). Um grande destaque dessa teoria é que o passado DEVE influenciar sempre nas nossas decisões. Se você não olhar pra trás e ver tudo o que foi bom e o que foi ruim, nunca vai conseguir tomar uma decisão, vai sempre errar e errar e nunca sair do lugar. É legal essa ideia de "virar a página", mas não esquecer que as páginas anteriores ainda estão ali, você pode consultá-las quando quiser :)


    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Acho que entendi o ponto de vocês, meninas.
    O que eu quis dizer é que se tem algo no passado que não foi bom, que te incomoda, não deixar isso influenciar nas próximas escolhas.

    Mas olhem só, você pode olhar pra trás e saber que errou em tal coisa e não deixar isso te influenciar, e assim não cometer o mesmo erro, foi isso que eu quis dizer. ^^

    O passado já passou, o que foi bom vai ser lembrado com carinho, o que foi ruim não deve ser remexido, e portanto não deve influenciar, lembrar-se em que você errou é só para que você possa evoluir. Entenderam o que quis dizer?


    E obrigada pelos comentários e o seu tempo em ler o blog, agradeço de coração. :)

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo comentário e pela visita! ♥
Responderei assim que puder ;)

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan