Filmes que eu recomendo #5

17 de junho de 2014

Essa categoria - ou tag, como quiserem chamar -  estava mortinha. A última que eu fiz foi em 2012! É engraçado como eu invento de fazer uma coisa e depois me esqueço completamente dela. Mas aqui no MdM é assim mesmo; afinal, esse é um blog um tanto inconstante, já que escrevo quando tenho vontade, vocês devem saber.
Então eu fiquei com vontade de falar de filmes e lembrei dessa categoria/tag e aqui estou para falar de mais três filmes.

Acho que das outras vezes eu tinha colocado algum tema entre os filmes, irei manter isso, pelo menos até esse post, hehehe. Hoje são "filmes que emocionam"; com histórias bonitas que nos fazem refletir sobre nós mesmos e sobre como pensamos. Gosto muito dessas três obras, estão na lista de favoritos.

Intocáveis

Além de emocionar, esse filme é cômico. Sério. Quando você vê trailer/teaser acha que vai ser drama e que vai chorar até desidratar, mas você acaba é rindo, gargalhando até. Isso por conta do personagem do Omar Sy, Driss. Ele é um cara com muitos problemas, mas parece que nada o abate. Ele está sempre de bom humor e fazendo piada de tudo. Melhor personagem do filme ever!

Driss é contratado para cuidar de Philippe, um senhor multimilionário e tetraplégico, que, obviamente, precisa de auxilio para as atividades. Com muita determinação, Driss consegue convencer que o contratem. Como disse, com aquele jeito descontraído e bom humor. A relação no começo, da parte de Philippe, não é tão boa, mas Driss consegue quebrar o gelo e eles constroem uma relação não só de amizade, mas de confiança. O que é lindo de ver. Driss trata Phillipe como uma pessoa normal, não tem frescuras nem "dedos" para falar com o ricaço e diz o que bem entende. Acho que por isso Philippe começa a ver que é assim que tem que ser para que se tenha respeito entre as pessoas, as tratando de igual para igual. 

Filme que nos passa uma mensagem muito muito bonita e importante (frase clichezona, mas não tem como definir de outro jeito). 

Histórias Cruzadas

Muito emocionante, e também contém cenas engraçadíssimas, principalmente as com Minny, personagem de Octavia Spencer. Ela e Aibileen são duas mulheres negras guerreiras, que trabalham para brancos na Mississipi dos anos 60, durante a formação dos direitos civis nos EUA. Skeeter é uma moça recém formada que tem muito a dizer e quer ser escritora. Ela, Aibileen e Minny vão começar a escrever histórias sobre as famílias brancas de Jackson e como o preconceito era forte, mas combatível se tratado com seriedade.

Essas três mulheres vão nos mostrar quão fortes as palavras são; mostrando otimismo mesmo quando tudo parece estar ruindo. É uma história muito bonita de superação, sobre preconceito, julgamentos e várias outras coisas. E apesar de serem assuntos que cansamos de ver até hoje, ele é tratado de modo criativo e envolvente. 

Quando assisti ao filme achei ele muito bom, porém ao reassisti-lo duas, três vezes comecei a ama-lo cada vez mais. É daqueles filmes pra vida, mesmo.

A Partida

Esse filme japonês vai contar a história de Daigo, um rapaz talentoso que toca violoncelo em uma orquestra em Tokyo. Porém com o término dela ele fica desempregado, começando a se desesperar. Ele e sua mulher decidem mudar-se para a cidade natal de Daigo, no interior, para que ele procure algo novo por lá. Já na primeira entrevista ele consegue o emprego de nokanshi: uma pessoa que prepara os mortos para o velório e cremação. Apesar de se acostumar e trabalhar com seriedade, acaba escondendo da mulher e de pessoas conhecidas, pois não é uma profissão muito bem vista.

Aprendendo sobre esse ritual, Daigo vai ver a vida e a morte com outros olhos. Vai resgatar lembranças do pai, que foi embora quando ele ainda era criança; se sensibilizara com as histórias das famílias com quem trabalha, e entender um pouco mais sobre si mesmo e suas crenças.

Notei que além de emocionante, também há cenas engraçadas, pelo menos no início do filme. Engraçado que nem pensei nisso quando reuni os três filmes para falar aqui. Então além de serem mais dramáticos, tem sua carga de comicidade, sem deixar de emocionarem, que era a primeira proposta do post.

Espero que tenham gostado das indicações. Se já assistiram, o que acharam desses filmes? 



2 comentários:

  1. http://cinetoscopio.com.br/2014/05/01/44-filmes-para-quem-adora-psicologia/ me recomendaram estes filmes... depois irei assistir a sua seleção ;)

    ResponderExcluir
  2. Nunca chorei tanto... assistindo Intocáveis, sério! Vi 2x e nas duas mesmo eu sabendo a cena, chorava
    Excelentes dicas

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo comentário e pela visita! ♥
Responderei assim que puder ;)

CopyRight © | Theme Designed By Hello Manhattan